domingo, 26 de junho de 2011


" Os homens são (quase) todos feitos do mesmo material, tirando aqueles que amam e deixam amar. Os outros, mesmo que amem sabem esquecer com tanta facilidade como quando uma mulher vai às compras, numa semana ou duas, vão sair, beber uns bons copos na companhia de outros homens iguais, e esquecem, ou melhor ainda, dizem que esquecem, porque nunca podem mostrar o lado fraco, o frágil, que se parte e se estraga como o coração de uma mulher. (…) Mas é assim que são os ditos machos, solteiros, com a caixa de entrada do telemóvel cheia de Marias, Anas, Teresas, Joanas e afins.
O único problema é que podem ter muitas, correr milhares, de sitio em sitio, de fim-de-semana em fim-de-semana, beijar com língua, sem língua, acabar na cama, no chão, nas escadas, ou mesmo só dar uns apalpões ao som da música. Os homens gostam disto, o que acontece é que por mais que tenham “outras” acabam sempre por amar a mesma. "

Sem comentários:

Enviar um comentário